terça-feira, 10 de julho de 2012

Chega de ilusão

Chega de calar essa boca que quer gritar para o mundo e ser reconhecida, tornei-me em pouco tempo um mudo, um desigual, mais um nesse mundo dos fluxos quotidianos da futilidade. Eu quero me libertar desse mundo de desperdícios e delírios, onde a felicidade instantânea e a paz de espírito são menosprezadas pela ilusão momentânea,que tentam ser transmitidas pelo falso êxtase da vida, pelo auge dos momentos únicos que jamais serão revividos, onde as cenas daquele dia poderão se repetir em seus lugares e destinos, mas seus personagens não terão a empolgação ou falta dela e melhor não existirão dando lugar para inúmeras possibilidades da substituição das pessoas e acontecimentos.
Chega de mentir para o meu eu, que esta sufocado de mentiras e tudo mais desse mundo de pessoas acomodadas que aceitam migalhas e se confundem com falsos sonhos. Chega de ilusão, ninguém mudou nada e muito menos o próprio comportamento.

Do abandono para qualquer vitória..

Um bom e velho habito foi abandonado, escorraçado involuntariamente pelas horas de trabalho e pela necessidade da assiduidade na faculdade, no trabalho, ou seja fora de casa e longe de paz e sossego para escrever, enfim palavras foram rimadas sem sentido dentro do contexto da falta de tempo e o sentido é um só, blog abandonado e esquecido, nenhuma postagem há alguns meses, mas a pratica de pegar na caneta para escrever crônicas nunca mais tornou-se parte do meu cotidiano...

Um mar de amor !

Sua beleza me emocionou e me deixou com medo, medo de me perder nesse mar sem fundo chamado amor, medo de mais uma vez me afogar nas ondas de ilusão e morrer na ressaca das fortes ondas de desespero me jogando para fora do mar de amor.
Mas como sua beleza tem um ar de lucidez eu me entreguei ao seu mar sem medo de me afogar, fui me banhando e me deliciando, não tinha nenhum incomodo, nenhuma pedra que me fizesse para e voltar por um passe errado, suas leves ondas de carinho e aconchego me fizeram boiar nesse mar que é de rosas e de paz, sem medo eu digo novamente que me entreguei, mas não me arrependi, tempestades chegaram e se foram, ondas bateram e quebraram qualquer barreira que tinha contra o amor e assim hoje eu sou tão intimo seu que me confundo, que esqueço que somos duas pessoas diferentes, quero ser com você único de uma maneira boa para  os dois, não vou me excluir da vida, mas sim valorizar aquilo que me faz viver e sorri.